"A História da Cela"

   Ricardo Calhas

A povoação de Cela Nova, está inserida numa área de terreno plano, com vista magnífica de terra e mar. Com sete séculos de existência, a povoação foi uma antiga Vila dos Coutos de Alcobaça. Apesar de ser uma terra muito antiga, existem poucos elementos que nos permitam conhecer o seu passado antes da presença dos Monges Cistercienses.

Referem alguns autores que esta freguesia era atravessada por uma via romana, muito concorrida, cujo itinerário não passava por Alcobaça, mas pela Cela Velha e rente à Lagoa da Pederneira.

Os Coutos de Alcobaça gozavam de uma jurisdição especial e os colonos encontravam aqui benefícios especiais, que faziam com que muitos furagidos à justiça do reino aqui encontrassem asilo, acolhimento e sobretudo terra e trabalho para se fixarem.

Os monges foram estabelecendo granjas ou herdades, que iam povoando, atribuindo aos colonos condições favoráveis para que se instalassem nos Coutos e aqui fixassem residência. Este foi o processo que acontecia com as outras freguesias e que aconteceu certamente também na Cela.

Em 26 de Maio de 1286 D. Frei Martinho II, 15º Abade do Mosteiro de Alcobaça deu aos primeiros 60 habitantes da Cela a primeira Carta de Povoação, que estabelecia os direitos e deveres dos colonos. Nela estes deveriam pagar um quarto da produção de todas as culturas ao mosteiro, contudo na produção proveniente de terras desbravadas pelos próprios colonos, estes pagariam apenas um quinto da produção.


Uma nova carta de povoação foi atribuída à Cela no ano de 1324 e no dia 1 de Setembro de 1514 a Cela Nova recebeu Foral Novo e definitivo, que lhe foi atribuído pelo Rei D. Manuel I.

Contudo deve acrescentar-se que estas terras não estariam desertas e até já teriam alguns habitantes, mesmo antes de receberem forais. A existência da Cela Velha permite-nos concluir que já existiria ali um povoado, na zona mais costeira, que poderia ter funcionado como um posto avançado, para uma melhor estratégia de defesa da costa.

A povoação da Cela Nova foi-se desenvolvendo e chegou a ser vila e sede de concelho. A agricultura teve aqui desde cedo um notável desenvolvimento ao ponto de aqui ter existido uma Escola Prática de Agricultura.

A origem do nome "Cela", segundo Baptista de Lima deve-se a uma antiga tradição segundo a qual algumas mulheres se enclausuravam em celas por toda a vida sem nunca de lá saírem, daí aparecerem cerca de duas dezenas de povoações portuguesas com este nome.

Na Cela não existe tradição ou lenda que indique a existência de alguma destas “celas”. Para Mário de Sá o topónimo Cela poderá ter origem na palavra “cala, calha” ou “quelha”, que significava caminho, teoria que poderá ter alguma lógica já que neste local existia uma via romana que ligava Lisboa ao Norte e que passava junto à Cela Velha.

Porém, uma outra explicação que será talvez mais aceitável e mais lógica, pois tem por base elementos relacionados à vida e actividade dos Monges de Alcobaça. Segundo uma velha lenda, um frade cisterciense instalou-se numa “pequena cela”, onde recebia os tributos dos habitantes destinados ao Mosteiro, que depois eram arrecadados na “tulha” (uma espécie de armazém), e por isso o local ficou a ser designado por “Cela”.




por Ricardo Calhas





Aqui perto....

o Pelourinho  
Aljubarrota 
Martingança 
ex-moinho 
Granja dos Monges de Cister 
Mosteiro de Santa Maria de Coz 
historia da freguesia de maiorga.