Lenda de Seteais (Lenda dos Sete Ais)

Lenda de Seteais (Lenda dos Sete Ais)
Em 1147, D. Mendo de Paiva, cavaleiro ao serviço de D. Afonso Henriques, subia a Serra de Xentra (hoje conhecida como Sintra) quando avistou vários mouros a fugir por uma porta secreta de uma fortaleza.
Lisboa havia sido conquistada e os Mouros de Sintra tinham ficado isolados pelo que o encontro com o Cristão era sinónimo de pavor ...

- Ai! – Suspirou uma bela Moura ao deparar-se com D. Mendo.

Zuleima, aia da moça, apressou-se a pedir-lhe que não voltasse a suspirar indiferente ao cavaleiro, mas quando ia justificar o seu pedido calou-se ...

- Acaba o que ias dizer ... – Disse D. Mendo não conseguindo conter a sua curiosidade.

- A ti nada tenho a dizer – respondeu a Aia – os teus já nos tiraram as terras, os bens, o castelo, nada mais temos para Vós!

- Pois , estais enganada! Esta rapariga fica minha prisioneira !

A Moura, chamada Anasir, soltou novo suspiro, ao ouvir tal afirmação.

A Aia, mais assustada pelo suspiro da moça do que pelo cavaleiro, decidiu então confessar o segredo que guardara até então!

- Calai-vos e não assustais mais a minha ama que sobre ela recai pesada maldição ...

Ora perante o ar aflito da Velha, Anasir não resistiu a dar o terceiro “Ai” !

- Que dizes ? - perguntou o cavaleiro intrigado!

- Uma feiticeira ciumenta, ao perder o homem que amava, para a mãe da minha ama lançou-lhe terrível feitiço: condenou-a à morte no momento que desse o seu sétimo Ai!

A Moça suspirou mais uma vez e D. Mendo não conteve barulhentas gargalhadas ...

- Se pensas que salvas a tua ama com contos de bruxas estais muito enganada! E só por isso ficas também minha prisioneira!

E a Moura suspirou novamente ...

- Ouviste , Cafir, ouviste? É o quinto Ai ! Que Alá lhe acuda !

D. Mendo riu-se novamente! Mas desta vez limitou-se a pedir-lhes que esperassem por ele e prometendo voltar para as levar para lugar seguro, entrou na fortaleza!

Um grupo de Mouros, que havia escutado a conversa, pretendendo impedir que as mulheres ficassem prisioneiras do Crsitão, tentaram levá-las à força mas Zuleima resistiu. Incapazes de levar avante a sua pretensão, os Mouros arrancaram a cabeça da velha com um golpe de adaga, o que provocou o sexto suspiro de Anasir ...

Quando D. Mendo voltava, ouviu o sétimo e dolorido Ai da Bela Moura, no mesmo momento que outra adaga cortava seu pescoço!

O cavaleiro ficou revoltado e tournou-se o cristão mais temido pelos mouros desse tempo.

À terra onde havia encontrado a Moura que tanto desejara e que uma Maldição matara, resolveu chamar Seteais!

Ainda hoje num sítio certo do Jardim de Seteais, se alguém disser um ai, ouve o eco que o repete seis vezes para lembrar aqueles que não acreditam em Maldições!






Aqui perto....

Monumento Pero Pinheiro 
Cabo da Roca 
São João das Lampas 
Rotunda Augusto Rendeiro 
Terrugem 
Estação de Caminho de Ferro de Sintra antigamente 
Sintra